Mudar a rota

Atualizado: 3 de set. de 2021

Ás vezes é necessário mudar a rota, mudar a direção, mudar os ares, quem me conhece sabe o quanto eu adoro uma rotina mas também sabe o quanto curto uma mudança.

Já morei em navio de cruzeiro, viajando pelo mundo; em Perth na Austrália; em São Paulo e em Araraquara, essa foi a que ficamos mais tempo até agora, foram 7 anos e meio aqui e agora é hora de mudar novamente.


Nunca tive medo de mudar e continuo assim, mudar a rota faz a gente ver a vida de outros ângulos, olhar em outra direção, faz a gente sair do piloto automático. Faz também a gente ter frio na barriga por não saber como será, por ter que descobrir tudo de novo, faz a gente ter saudade do que ainda nem deixou pra trás mas sabe que irá deixar, coisas materiais como a nossa casa e coisas emocionais como os amiguinhos que não mais crescerão juntos, a cidade e lar que nossos dois filhos nasceram e exploraram, aquela porta do armário que o mais novo insiste em prender o dedo e aquela despensa que o mais velho já sabe certinho onde fica cada coisa.


Mudar tem isso, tem lembranças que passarão a ser só lembranças, que não serão mais frequentes no nosso dia a dia e tem descobertas por tudo novo, nova rotina, nova casa, nova dinâmica, nova cidade, novos amigos.


Estamos prestes a nos despedir do nosso lar e sim, dá um baita aperto no coração, escrevo esse texto com os olhos marejados, tentando controlar as lágrimas e também sei que onde quer que estejamos criaremos o nosso novo lar, porque muito mais importante do que o que temos de estrutura é o que temos de não palpável, nossa família, nossa união, nosso amor, esse irá conosco pra qualquer lugar do mundo. "Lar é onde o nosso coração encontra seu ponto de paz e tranquilidade." e eu tenho certeza que criaremos o nosso em qualquer lugar do mundo.


Ciclos são assim, tem começo, meio e fim e tudo que termina, dá lugar para que algo diferente inicie. Então lá vamos nós, mais um recomeço, mais uma cidade, mais uma aventura, que seja leve e muito feliz!