A mãe não é recreadora infantil

Essa frase no início do meu maternar não fazia sentido, eu achava que devia estar o tempo todo presente, dando atividades, entretendo meu filho, dando atenção. Que o tempo todo que ele estivesse acordado, era minha função mantê-lo entretido.


Aí os anos começaram a passar (sim, eu levei anos para absorver essa ideia de que não era minha função o divertimento do meu filho o dia todo) e consegui entender que meu filho pode (e deve) viver o tédio, que não é minha função e nem é saudável, mantê-lo entretido o dia todo. Que eu posso fazer as minhas coisas enquanto fico com meus filhos e que sempre devo dedicar um momento do meu dia para estar 100% presente com eles, sem celular, sem tv, sem nada, só eu e eles.


Eu confesso que não tenho vontade de brincar o dia todo, acho realmente chato, não consigo aproveitar e antes pensava que mesmo sem gostar deveria fazer isso pra ficar com eles, afinal, eles crescem tão rápido. Aí mudei as minhas lentes, é muito melhor eu passar um tempo de qualidade realmente, que seja 15 ou 30 minutos, 1 hora do meu dia, verdadeiramente presente e curtindo o que estamos fazendo, do que o dia todo fingindo gostar.


Então hoje em dia eu me permito, permito ler um livro, trabalhar, estudar, mesmo se estou com eles, mesmo se os dois estão acordados e tem sido tão maravilhoso que eu gostaria de ter aprendido isso antes. Primeiro porque eles não dependem de mim para mostrar o que brincar, eles criam e inventam brincadeiras que jamais pensei. Segundo porque eu me sinto realizada fazendo as minhas coisas, me sentindo útil e importante, trabalhando e me realizando profissionalmente. Terceiro porque tem sido tão sensacional ver esses dois interagindo juntos, só eles, sem um adulto interferindo o tempo todo, eles estão criando uma relação de cumplicidade que dá gosto de ver.


É isso, meus dias ficaram muito mais leves, me tornei uma mãe ainda melhor, quando me permiti ser e fazer coisas pra mim, pra mulher e profissional que sou. E todos os dias eles sabem que terão um momento que serei só deles e outros momentos que estarei presente fisicamente mas trabalhando ou fazendo outras coisas que não seja brincar.


Como todos os dias tenho feito assim gerou neles uma previsibilidade e com isso tem fluido magicamente, eles brincam e se divertem sozinhos (a grande maioria dos dias - porque na maternidade não existe nunca um sempre) e eu consigo trabalhar mesmo com duas crianças em casa acordadas.


Me conta: como é por ai?